A busca para encontrar fintechs com potencial para revolucionar o mercado financeiro, iniciada há dois meses pelo Track, o programa de aceleração da Kyvo em parceria com a Visa, teve sua primeira etapa encerrada. Durante os dois meses de inscrição, o site recebeu 3,7 mil acessos e cerca de 180 cadastros de empreendedores. Estes passarão, agora, pela avaliação de um comitê formado por executivos da Visa, do centro de inovação do Vale do Silício GSVLabs e da consultoria Kyvo para a seleção das 15 startups que farão parte da fase final do programa. Os nomes das finalistas serão anunciados no próximo dia 17.
“Desde que implementamos o Visa Everywhere Initiative, plataforma de relacionamento da Visa com as startups, percebemos o quanto essa parceria é saudável para a construção do futuro da indústria de meios de pagamentos. Estamos extremamente satisfeitos com a qualidade dos projetos inscritos no Track e com a evolução da comunidade de empreendedores brasileiros ”, diz Érico Fileno, diretor de inovação da Visa no Brasil.

Após o anúncio das finalistas, as 15 startups terão uma semana para preparar sua apresentação para o pitch, que acontecerá no fim de abril e selecionará as cinco fintechs que serão aceleradas e incubadas pelo programa. A partir daí, iniciam-se os três meses de aceleração do programa. Nessa fase, as startups serão submetidas a uma rotina diária de mentoria e sessões com possíveis investidores no Brasil e nos Estados Unidos. O último mês de aceleração será no Vale do Silício, na sede do GSVLabs, um espaço com cerca de 7 mil metros quadrados e que abriga mais de 170 startups de diversos setores da economia.

Já foram confirmados mais de 30 mentores no Brasil, além dos empresários e executivos que fazem parte da rede do GSVLabs. No time de mentores brasileiros do Track, junto com Fileno, estão nomes como Fernando Teles, country manager da Visa, Percival Jatobá, vice-presidente de produtos da Visa no Brasil, Hilton Menezes, sócio-fundador da Kyvo, Pedro Englert, CEO do StartSe, Edson Rigonatti, sócio da Astella Investimentos, Tito Gusmão, CEO da Warren, Tallis Gomes, fundador do Easy Táxi, e Pedro Conrade, do Banco Neon.

Depois do período de aceleração, as cinco startups serão incubadas por três meses no espaço exclusivo montado em São Paulo para o Track pela Kyvo e GSVLabs. Durante todo o programa, os times terão follow ups semanais de seus KPIs e acesso a conteúdos da GSVlabs. Também terão a oportunidade de conhecer a fundo a operação da Visa no Brasil e, com isso, abrir uma série de oportunidades de trabalhos em conjunto com a empresa e todo o mercado financeiros do país. O programa termina em outubro, quando cada startup terá a oportunidade de se apresentar para um comitê formado pela Visa, Kyvo e GSVLabs.

“Temos 15 excepcionais fintechs na reta final do Track. Com a expertise da Visa e o intercâmbio no Vale do Silício, esperamos conseguir alavancar as startups de maneira inédita no Brasil”, diz Hilton Menezes, sócio-fundador da Kyvo.
Sobre o GSVlabs – O GSVlabs é um centro de inovação mundial que acelera startups e conecta empresas a tecnologias, modelos de negócios e empresários. Baseada no Vale do Silício, abriga mais de 170 startups que juntas levantaram mais de 200 milhões de dólares em 2015. Por ser ponto de acesso a um ecossistema de startups, grandes corporações como IBM, JetBlue, 3M, Times of India, Intel e AT&T são parceiras do GSVlabs para lançar novas iniciativas, identificar talentos e impulsionar novos modelos de negócio. O GSVlabs conta também com uma forte rede global de parceiros de países como Indonésia, China, México, Índia e desde o fim de 2016 é representado exclusivamente pela Kyvo no Brasil.
Sobre a Visa – A Visa é uma companhia global de tecnologia de pagamento que conecta consumidores, empresas, instituições financeiras e governos em mais de 200 países e territórios com uma moeda digital rápida, segura e confiável. Operamos uma das mais avançadas redes de processamento – a VisaNet – que é capaz de processar mais de 65 mil transações por segundo, com proteção contra fraudes para os consumidores e garantia de recebimento aos comércios. A Visa não é um banco e não emite cartões, não concede crédito ou fixa taxas aos consumidores. As inovações da Visa permitem às suas instituições financeiras clientes oferecer aos consumidores mais opções: pagar agora com o débito, adiantado com o pré-pago ou tempos depois com os produtos de crédito. 


Comentários