Blockchain View, promovido pela Cantarino Brasileiro, discutirá como a nova tecnologia dominará a cena nos próximos anos 

As tecnologias disruptivas como Bitcoin e Blockchain desafiam até os investidores mais experientes. Embora essa ainda seja uma fase de experimentação, as previsões são positivas em relação ao crescimento deste mercado.

Considerada uma das tecnologias mais disruptivas desde o advento da Internet, o Blockchain deverá movimentar cerca de 1 trilhão de dólares somente neste ano, mais de 15 vezes o valor movimentado em 2016. Segundo estudo recente da Juniper Research, os negócios diários envolvendo criptomoedas já ultrapassam a casa dos 2 bilhões de dólares.

Por acreditar na importância de debater o tema e seus principais impactos para o mercado, a Cantarino Brasileiro promoverá no dia 19 de outubro, no Hotel Meliá Paulista, o Blockchain View, segunda edição do maior evento sobre o assunto, ideal para quem está pensando em investir em Bitcoin e outras criptomoedas, atuando ou desenvolvendo em Blockchain.

As palestras abordarão o surgimento e adoção de criptomedas, ICO, token, smart contracts, projetos, estudos e aplicações da tecnologia que, embora seja a mais falada no mercado financeiro, conta com uma série de aplicações para outras indústrias, como educação, energia, infraestrutura entre outras. “O Blockchain é a tecnologia mais disruptiva e revolucionária da era digital. O evento reunirá uma série de startups, grandes empresas de tecnologia, advogados, bancos, governo e evangelizadores para fomentar o debate sobre novos modelos de negócios que poderão ser criados a partir da tecnologia”, afirma Regina Crespo, curadora de conteúdo do Blockchain View.

Atualmente, o Blockchain está entre as top 10 nas áreas de segurança corporativa, armazenamento de dados e compartilhamento de arquivos. Um recente

relatório do Fórum Econômico Mundial prevê que, em 2025, 10% do PIB será armazenado em tecnologias relacionadas com blockchain.

Muitos especialistas acreditam que a tecnologia, que cresceu em popularidade por ser a base para a criptografia e segurança da plataforma de Bitcoin, revolucione a armazenagem de dados digitais. Aliado ao uso de big data, o blockchain pode ser a alternativa para reunir dados que se encontram desconectados, de forma a ampliar a eficiência e assegurar mais transparência em cada etapa do processo produtivo.

No Brasil, a tecnologia é nova e está sendo desenvolvida principalmente para soluções bancárias. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) criou uma comissão e um grupo de trabalho específico para tratar do assunto, devido à sua importância como ferramenta disruptiva e de segurança. O que chama bastante atenção no Blockchain é a maneira como rompe com o padrão usado atualmente por bancos de dados para armazenar informações de seus clientes.

Embora o blockchain esteja muito associado à moeda digital, a segunda geração, Blockchain 2.0, permite estender a tecnologia a outras indústrias. No negócio da música, vídeo e publicações, por exemplo, o Blockchain 2.0 poder ser utilizado na gestão de direitos autorais e coleta de royalties a partir de streaming digital e downloads. Esse modelo será apresentado pela Paratii (vídeos) e pela Prospera (publicações) na rodada de apresentações de projetos do Blockchain View, que mostrará soluções para diversos mercados.

A tendência é que todas as áreas em que há necessidade de certificação sejam beneficiadas pelo blockchain. Nesse sentido, qualquer tipo de valor mobiliário ou certificado que hoje é expedido em papel poderá ser convertido em uma informação no blockchain. Os exemplos são inúmeros: carteiras de identidade, apólices de seguro, ingressos, diplomas, cédulas monetárias em papel, certificados de autenticidade de obras de arte e patentes.

De acordo com Rocelo Lopes, fundador da CoinBR, o blockchain garante mais transparência às transações, podendo ser utilizado em obras públicas e doações a partidos políticos. “A tecnologia é realmente disruptiva e pode contribuir para inibir a corrupção”, destaca. Para Lopes, o Blockchain View será uma oportunidade para debater formas de implementar a tecnologia no Brasil, de maneira que ela seja segura e conte com a aceitação da sociedade, do governo, dos bancos e das corretoras de bitcoins.

“O evento se propõe a ser um espaço de troca de informações, aprendizado e de geração de oportunidades, que permitam às empresas de diversos segmentos se tornarem mais eficientes com a implementação de Blockchain”, complementa Marcos Cantarino, diretor da Cantarino Brasileiro.

Saiba mais sobre a programação aqui

ANOTE EM SUA AGENDA 

Blockchain View
Data: 19 de outubro
Horário: 8h às 18h
Local: Hotel Meliá Paulista
Endereço: Avenida Paulista, 2181, Consolação, São Paulo

 

Comentários