Desde que a palavra Fintech chegou ao Brasil unindo dois mundos, o da tecnologia e o dos serviços financeiros, os investimentos não param de surgir a cada mês. Só em 2016, foram US$ 161 (cerca de R$ 515 milhões) de investimentos feitos em fintech, o que rendeu ao Brasil o 8º lugar em maior volume de investimentos nesse mercado.

O Conexão Fintech monitora diariamente esses investimentos e trouxe neste ano alertas de mercado mostrando aportes como o da Avante, fintech de microcrédito que recebeu R$ 38,6 milhões do fundo de investimentos Vox Capital e do Fiinlab, do grupo Gentera.

Outro investimento que chamou a atenção do mercado no primeiro semestre foi o recebido pela brasileira Creditas (ex-BankFacil), que oferece empréstimos pela internet. A Creditas recebeu um aporte de R$ 60 milhões com a International Finance Corporation (IFC), braço de investimentos do Banco Mundial, e o fundo Naspers.

O mercado financeiro está agitado e procura novas startups para investir e fazer parte de seu crescimento. Fique atento aos alertas de mercado do Conexão Fintech para não perder os novos investimentos que o segundo semestre trará para esse mercado efervescente.

Total investido até setembro de 2017: R$ 281,44 milhões

Veja abaixo os investimentos em fintechs que tivemos neste ano:

1. GuiaBolso

O GuiaBolso, fintech brasileira que tem um aplicativo gratuito de gestão financeira, recebeu um investimento de R$ 125 milhões em outubro. A Vostok Emerging Finance, fundo global focado em fintechs, foi o principal investidor nesta quinta rodada de investimentos, que também teve participação da Endeavor Catalyst, a Ribbit Capital do Vale, do Silício, o Omidyar Network, criado pelo fundador do eBay, e o International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial. (saiba mais)

2. Vindi

A Vindi, plataforma referência em pagamentos recorrentes no país, recebeu em setembro um investimento de R$ 5,84 milhões. O investimento Series A foi realizado pelo fundo Criatec 2, administrado pelo Bozano Investimentos. (saiba mais)

3. Acesso

A emissora independente de cartões pré-pagos, Acesso, recebeu no final de agosto de 2017 aporte de R$ 21 milhões da InvestTech, gestora de investimentos focada em fundos de venture capital e private equity. O recurso será aplicado principalmente na evolução de seus produtos, criação de novas linhas de negócio e expansão de sua rede de distribuição.

4. Bom pra Crédito

A startup que é um marketplace de crédito ao consumidor, lançado no final 2013 por um grupo de executivos veteranos do setor, tem a missão de fazer do mercado brasileiro de crédito um ambiente mais justo e equilibrado. Em junho, ela recebeu um aporte de R$ 6 milhões da Astella Investimentos, gestora de recursos independente especializada em Venture Capital.

5. Avante

A empresa recebeu um aporte de R$ 38,6 milhões do fundo de investimentos Vox Capital e do Fiinlab, do grupo Gentera. A Avante oferece soluções financeiras para microempreendedores como microcrédito e é um dos principais cases de fintech com foco na inclusão financeira no Brasil, uma das principais tendências levantadas em nossorelatório com líderes do setor.

6. Creditas (ex-BankFácil)

A startup Creditas, que oferece empréstimos pela internet, levantou um aporte de R$ 60 milhões com a International Finance Corporation (IFC), braço de investimentos do Banco Mundial, e o fundo Naspers. Além do investimento, a empresa que já vinha num bom momento em 2016 mudou de nome de BankFácil para Creditas.

7. Konduto

A Konduto, uma fintech cuja tecnologia barra fraudes em transações on-line, recebeu um investimento de R$ 2,5 milhões do fundo Criatec 2, administrado pelo Bozano Investimentos e pela Triaxis Capital.

8. Nibo

A fintech Nibo funciona como uma plataforma online de controle financeiro para empresas de pequeno e médio porte. Em maio, ela recebeu um investimento de R$ 20 milhões, liderado pela Vostok Emerging Finance, fundo global focado em fintechs, com a participação da Redpoint Eventures e do Valor Capital Group.

9. Asaas

A Fintech catarinense ASAAS, que fornece a solução completa para gestão de pagamentos e cobranças, recebeu um aporte de R$ 2,5 milhões, liderado pelo fundo Cventures Primus, já no primeiro mês de 2017.

Conhece uma fintech que recebeu investimentos em 2017 e não está na lista? Fale para a gente nos comentários abaixo!

Comentários